água

Olá, me chamo Luis Felipe e sou o idealizador do Blog Papo de Respeito, não sei como está o estado onde você mora, mas aqui no Distrito Federal (DF), na capital do nosso país as coisas não vão muito bem!! Principalmente quando o assunto é a ÁGUA.

Todo o DF está em estado de alerta por conta da baixa de água nos reservatórios que abastecem a nossa região.

Não estou aqui para culpar um ou outro, nem dizer que foi falta de gestão ou de zelo quanto aos nossos reservatórios, estou aqui para fazer a minha parte, como cidadão, de repassar as orientações e dicas de como podemos economizar ou usar a água evitando desperdícios. VALE PARA TODO TERRITÓRIO NACIONAL!

Aqui vão 11 dicas da ADASA (Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal):

1) Na lavagem de roupas:

Use o máximo da capacidade da máquina.
O melhor é planejar. Acumule as peças sujas para usar a máquina com a menor frequência possível. No final do processo, toda a água usada na lavagem e no enxágue das roupas pode servir para a limpeza do chão, de varandas, do quintal ou das calçadas. E o reaproveitamento só requer que se desvie a mangueira do cano de descarga do esgoto para um recipiente, um balde ou galão. Um alerta: é importante que essa água vá para o ralo, para o esgoto, e que não termine na rede de águas pluviais. Essa água necessita de tratamento antes de terminar em córregos e rios. O descarte na rua, nas bocas de lobo, causa poluição ambiental.

2) Na hora de lavar a louça:

Limpe os resíduos antes de abrir a torneira.
Use um pano, uma esponja ou um papel toalha para tirar os restos de comida dos utensílios de cozinha e jogue os resíduos no lixo. Depois, encha a pia, coloque algumas gotas de detergente e deixe pratos, talheres, panelas e tudo mais de molho por alguns minutos, antes de começar a lavagem, ainda sem abrir a torneira – esse método facilita a retirada da sujeira.

Depois, ainda com a torneira fechada, ensaboe peça por peça e só então use a água corrente, na hora de enxaguar. Como na pia do banheiro, abriu, usou, fechou.

E, de novo, abriu, usou, fechou. Uma torneira aberta continuamente gasta, em média, 240L de água. Abrindo e fechando, o gasto diminui para 70L de água. E como economia tem a ver com respeito ao meio ambiente, aproveite e use detergentes ecológicos, sem ou com menor quantidade de fosfato, para minimizar a contaminação da água.

3) Fique atento(a) as torneiras pingando:

Ao fechar a torneira, certifique-se que ela não está desperdiçando água.
Uma torneira gotejando desperdiça cerca de 46L de água por dia. Se a água fluir em forma de filete, o desperdício pode variar de 750L a 2 mil L por dia.

4) Ao dar descarga:

Aperte o botão adequado ao n°01 e ao n° 02. Em tempos de escassez de água, uso do vaso sanitário ganha importância.

A correta destinação dos dejetos demanda, num só acionamento, pelo menos 6L. A cada descarga, conforme o modelo do mecanismo, o gasto d’água pode chegar a 12L – mecanismos mais antigos demandam até 25L.

Quando a válvula está defeituosa, isso pode fazer com que 30L ou mais de água boa virem, inutilmente, esgoto. Uma válvula de descarga desregulada ou estragada é desperdício certo, com resultado significativo no valor
da conta no fim do mês.

Os vasos sanitários com caixa de descarga acoplada funcionam com menor demanda de água do que as de válvulas na parede.

E recorrer à água de reuso para evitar o acionamento do mecanismo é medida que fará diferença significativa no fim do mês.

5) Na pia do banheiro:

É simples: abriu, usou, fechou. E, de novo, abriu, usou, fechou Ao escovar os dentes, lavar o rosto e as mãos, e ao fazer a barba, a água só deve correr pela torneira quando é útil. O registro aberto continuamente, durante 5 minutos, fará 12L de água irem embora pelo ralo. Com as interrupções, com o uso do registro, isso cai para menos da metade.

Na escovação dos dentes, ao molhar a escova e fechar a torneira e, ainda, ao usar um copo d’água para enxaguar a boca, a economia pode chegar a 11,5 L. A torneira aberta, durante só 1 minuto para a lavagem do rosto, demanda, em média, 2L.

A dica é não demorar! E isso vale para a hora do barbear, de lavar as mãos. A preocupação com o uso racional pode reduzir o gasto em 10L, de 12L para 2L. O resultado final da redução, durante apenas uma oportunidade, é suficiente para uma pessoa se manter hidratada durante quase três dias.

6) No chuveiro:

Quanto mais rápido o banho, maior a economia.
O segredo é dividir a tarefa em etapas: molhe o corpo e feche o registro; se ensaboe, lave o cabelo, se enxágue e fim, feche o registro.

Uma ducha funcionando durante 15 minutos significa pelo menos 135 litros (L) pelo ralo, indo embora – e isso aparece na conta, no final do mês.

Um banho, com o uso racional d’água, diminuiu o gasto total em 90L, ou seja, economia na conta d’água e também na conta de energia porque pouca gente prefere a água fria. O consumo baixa mais ainda com a parcimônia, sem a abertura total do registro.

A ducha perde força, é certo, mas escassez hídrica está aí e a economia vale a pena, pelo bem do bolso de cada um e pelo bem de todos.

7) Utilize o arejador de água para a torneira:

Uma solução inteligente para reduzir o desperdício de água. Procure nas lojas de utilidades domésticas, ferragens
ou materiais de construção pelos redutores de vazão, também conhecidos também como arejadores, aeradores ou peneirinha.

O uso desse dispositivo no bico da torneira demanda pouco investimento para compra e para a instalação e traz a redução no consumo em até 30% – e ainda rende a sensação de um fluxo mais intenso nas torneiras.

A adoção de acessórios de controle de fluxo de água também nos chuveiros e em mangueiras permite economia e o melhor uso d’água.

8) Nas residências com piscina:

Priorize limpeza em vez de substituição de água. Lembre-se que a prioridade é o consumo humano e animal. Evite a substituição, não troque com frequência a água na piscina e faça o tratamento com produtos de higienização.

Sempre que a piscina não estiver em uso, faça a sua cobertura com uma lona para diminuir a perda com a evaporação – e inclusive dificultar a proliferação do mosquito da dengue.

Se for necessário o esvaziamento da piscina, a água pode servir para a lavagem de pisos e também para a irrigação de jardins.

9) Ao regar as plantas:

Use o regador em vez da mangueira. Essa é a forma mais econômica e racional de molhar as plantas. A cada 15 minutos de uso da mangueira, o desperdício pode somar 280L. Para aumentar o aproveitamento da água pelas plantas, vale evitar os horários mais quentes do dia e esperar pela noite, período de menor evaporação.

10) Verifique constantemente a existência de vazamentos:

Cano com vazamento representa desperdício de água potável – e de dinheiro, Para checagem do sistema de abastecimento, é simples: feche todas as torneiras e interrompa todo o consumo de água na casa, no apartamento ou no trabalho.

Então, confira a marcação do hidrômetro: se os indicadores do relógio continuarem girando, é porque há vazamento. Um profissional qualificado é capaz de identificar a origem do problema e logo acabará com a água que só serve para levar o dinheiro embora.

Manutenção preventiva e consertos feitos com agilidade resultam numa efetiva economia. No caso da identificação de vazamento de água na rede pública, a empresa concessionária deve ser avisada imediatamente.

No Distrito Federal, a Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) atende ao cidadão por meio do número de telefone 115.

11) Uso da água nos processos produtivos:

Quando o assunto é o uso d’água em larga escala, medidas de economia ganham em importância por causa da escala, a vantagem se multiplica e o resultado é dinheiro que deixa de sair do cofre da empresa.

No caso de processos produtivos, medidas simples fazem diferença significativa. Na agricultura, a irrigação, por exemplo, feita de modo racional, provoca a mudança de horário de rega para as horas menos quentes do dia – sem prejudicar a perspectiva
de safra.

Só o ajuste no período do dia potencializa o efeito da hidratação das plantas e resulta em menor demanda por água.

Em fábricas e comércios, a adoção de equipamentos, com tecnologias que permitem o uso racional, e a periódica revisão das instalações trazem retorno, são investimentos que se pagam. Essas atitudes trazem ganhos ambientais a todos e também rendem, para a empresa, gasto menor.


Gostou? Então curta, compartilhe e comente!!

Abraços…

Luis Felipe Souza Cunha
Papo de Respeito
www.papoderespeito.com.br

2 Comentários

  1. Use o medidor de água para verificar se há vazamentos de água escondidos
    Leia o medidor de água da casa antes e depois de um período de duas horas, quando não há água sendo usada. Se o medidor mostrou consumo, há um vazamento.

  2. É preciso despertar sobre a necessidade de aumentar o conhecimento público sobre o papel essencial desempenha água no desenvolvimento global e prosperidade humana. É preciso concentrar a atenção global sobre o impacto de longo alcance da água tem no nosso mundo e sobre nós.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Close