dor de cabeca

Esse artigo sobre dor de cabeça e enxaqueca, na sua íntegra, foi postado no blog da Clínica Santiago – Ortodontia – Asa Sul – Brasília/DF


A Enxaqueca, aquela dor de cabeça forte, acompanhada ou não de dor no pescoço, dor nos ombros, zumbido nos ouvidos e outros sintomas, é um mal que muita gente padece por longos anos e não acha a solução!

Você sabia que, em vários casos, essa solução pode ser encontrada dentro de um consultório odontológico? Isso mesmo…

Dores como essas podem ser causadas ou serem aumentadas pelo “stress” muscular ou mesmo emocional e por funcionamento inadequado do sistema mastigatório.

O problema possui crescimento do tipo “bola de neve”, ou seja, vai aumentando com o tempo podendo criar raízes emocionais que podem levar a uma depressão. Essa condição pode ser resolvida, ou ter seus sintomas muito atenuados, através de um correto diagnóstico e terapêutica realizada pelo Dentista.

O bruxismo (ranger de dentes) ou o apertamento dentário,  levam a um “stress” da musculatura envolvida (são horas seguidas de funcionamento muscular anormal!) que pode resultar numa fadiga muscular ou mesmo num processo inflamatório. A fadiga provoca acúmulo de ácido lático e causa a conhecida dor de cansaço muscular: dor de queimação. Um dos principais músculos envolvidos é o masseter e o temporal, sendo que a dor costuma se localizar na região das têmporas (entre o final das sobrancelhas e o ouvidos) e próxima aos ouvidos.

Estou falando apenas das dores, nem comentei sobre o desgaste dentário que é terrível!

No caso de processo inflamatório as dores são piores e o inchaço, inerente à inflamação, pode pressionar um conhecido nervo que fica na região, o trigêmeo e causar a tão temida neuralgia do trigêmeo.

A dor é intensa e difusa! O diagnóstico correto é fundamental pois há casos de exodontia (extração) de todos os dentes devido às dores, sendo que o problema está no nervo e não nos dentes.

Placas de relaxamento muscular são capazes de solucionar os principais distúrbios causados pelas parafunções do sistema mastigatório.

Vamos aos números da dor de cabeça?

De acordo com um levantamento global realizado pela empresa de pesquisa alemã GFK, enxaquecas e a dor de cabeça foram a segunda principal queixa do brasileiro quando o assunto é saúde nos últimos 12 meses, afetando 34% dos entrevistados e sendo ainda mais comum entre as mulheres (44%).

Quem sofre do mal sabe bem como é: latejante, crônica, lancinante, a enxaqueca não é uma dorzinha qualquer. “Antes da crise, é comum a pessoa ter distúrbios visuais e sentir mal-estar. A dor é pulsátil, unilateral e tem intensidade muito forte, podendo provocar náuseas e vômitos”, explica o neurologista e neurofisiologista Daniel de Souza e Silva, da UERJ. “Fotofobia (sensibilidade à luz) e fonofobia (desconforto com barulho) também são sintomas clássicos”, completa.

E a duração é longa, podendo persistir de quatro a 72 horas. A boa notícia é que um exército de especialistas tem atuado em diversas frentes para garantir a qualidade de vida para quem sofre de crises de enxaqueca. Ajustes na alimentação por meio de exames personalizados, aplicação de botox em pontos estratégicos da cabeça e técnicas que atuam no combate de distúrbios na mandíbula prometem eliminar a dor, recuperar o bom humor e promover o tão desejado bem-estar.

 

EFEITO BOTOX
enxaquecaEm abril de 2016, o uso do botox para o tratamento da enxaqueca crônica e dor de cabeça (frequência de pelo menos 15 dias por mês) foi reconhecido como seguro e efetivo pela Academia Americana de Neurologia. O método já vinha sendo aplicado ao longo desta década, mas o órgão avaliou que agora há estudos bem detalhados sobre sua eficácia. “O botox ganhou lugar privilegiado”, diz o neurologista Pedro Kowacs, do Hospital de Clínicas da UFPR. Ele é injetado em pontos estratégicos (espalhados pela testa, têmporas e nuca, entre outros) e reaplicado a cada três meses. De acordo com a neurologista Maria Eduarda Nobre, seu uso reduz a frequência, a intensidade e a duração das dores. “Segundo minha experiência, começa a melhorar dez dias após a primeira aplicação.”

MANDÍBULA NA MIRA
A sua mordida e a maneira como você fecha a boca podem agravar as incansáveis dores. O bruxismo(ranger os dentes) e o apertamento dental, podem causar disfunção temporomandibular (DTM), que, por sua vez, intensifica a enxaqueca. O tratamento é complexo, multidisciplinar e individualizado para cada paciente – o  tratamento ortodôntico e o uso de uma placa acrílica miorrelaxante são importantes no processo. A placa é colocada na boca antes de dormir, no intuito de aliviar a articulação têmporo madibular. O desgaste dentário pode causar perdas dentárias, gerando má oclusão e, consequentemente, dores de cabeça e na região do ouvido, além de esofagites e gastrites, já que a mastigação fica prejudicada, sobrecarregando o sistema digestório. Em vários casos, o paciente precisa de um tratamento ortodôntico para posicionamento ideal dos dentes, preparando a boca que seja feita a reabilitação oral com próteses de porcelana.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Close