Hematospermia, que é a presença de sangue no esperma é um sinal que preocupa muito o paciente. Todavia a hemospermia na grande maioria das vezes não significa absolutamente nada de importante. Em geral não se consegue diagnosticar sua causa ou é manifestação de uma doença benigna.

Quase sempre as doenças significativas são excluídas por meio da história clínica, exame físico e avaliação laboratorial. Somente em casos selecionados se deve realizar exames de imagem como ecografia ou tomografia computadorizada.
Nos homens com menos de 40 anos, sem outros sintomas associados, e que não tenham fatores de riscos tais como história de câncer de próstata na família, malformação urogenital e distúrbios hemorrágicos, a hematospermia muitas vezes é auto-limitada e não requer nenhuma avaliação adicional e nem mesmo tratamento.

Nos homens abaixo de 40 anos com outros sintomas associados ou história clínica, em geral resultante de uma doença sexualmente transmissível (DST), deve-se fazer faz uma avaliação com exame de urina e exames para DST, bem como toque retal para avaliar a possibilidade de uma infecção na próstata (prostatite). Confirmado algum diagnóstico trata-se a doença específica.Nos homens com mais de 40 anos as causas mais comuns, além da DST, são: hematospermia iatrogênica após instrumentação urogenital, exames endoscópicos ou mesmo biópsia da próstata, infecção urinária, prostatites, malformações vasculares, cálculos urinário ou prostático, tumores, doenças sistêmicas que aumentam o risco de sangramento e o uso de anticoagulantes ou drogas que diminuem a coagulação sanguínea

Atenção especial nos casos hematospermia persistente associada com febre, calafrios, perda de peso e dor óssea. Nestes casos se aprofunda a investigação, com exames de imagem e dosagem do PSA, a fim de afastar a possibilidade de câncer da próstata.


Dr. Evandro de Oliveira Cunha – Diretor Geral – Hospital Urológico de Brasília


Gostou? Então curta, compartilhe e comente!!

Abraços…

Wanessa R. Passos
Papo de Respeito
www.papoderespeito.com.br

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close